ABRAÇÃO DE BOAS-VINDAS.



PODE ENTRAR. FIQUE Á VONTADE.

VOCÊ NO CANTO DA POESIA,

AO ENTRAR TRAZ ALEGRIA

AO SAIR DEIXA SAUDADE.

UM POUCO DE MIM



SOU PERNAMBUCANO NASCIDO EM GARANHUNS. CRIADO NO MATO, NA FAZENDA LAGOA DE BELAMENTE, DISTANTE 12 KM DO COLÉGIO DIOCESANO ONDE ESTUDEI O 1º CICLO. ANTES DISSO ESTUDAVA EM CASA NUMA ESCOLA RURAL FUNDADA POR MEU PAI, NO TEMPO DA PALMATÓRIA.
FOI UMA LINDA INFÂNCIA, CONVIVENDO COM UM POVO SIMPLES, HONESTO E TRABALHADOR.
APRENDI GOSTAR, ADMIRAR E SEGUIR ESSA GENTE BOA, HUMILDE, SINCERA, SOFREDORA, CHEIA DE SABEDORIA, DE RESPONSABILIDADE E DE ALMA FORROZEIRA, VERSOS BREJEIROS, DE BENDITOS E REISADOS, DE ABOIOS E TOADAS, DAS CONVERSAS SEMPRE AFINADAS E AS VIOLAS TAMBÉM.
DEPOIS DE HOMEM QUASE FEITO, FUI AOS POUCOS ME AFASTANDO, COMO TODOS OS RAPAZES DE CIDADES SEM INDÚSTRIAS, QUE SAEM A PROCURA DE MELHORES RUMOS. ESTIVE NA AERONÁUTICA, EM RECIFE, DOIS ANOS. EM 60 FUI TRABALHAR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. MAS MEU PENSAMENTO VIVIA NO NORDESTE, NA COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO, CHESF. EM 64 CONSEGUI UMA VAGA E ENTREI NA
MÃE CHESF. NELA GANHEI E GOZEI A VIDA. FIZ O 2º CICLO EM RECIFE E FIZ 8 CURSOS TÉCNICOS POR CONTA DA EMPRESA. (E POR MINHA CONTA ME ESPECIALIZEI EM DANÇA-DE-RODA, RABO-DE-SAIA, NOITES VIRADAS, LUZ NEGRA, PÉ-DE-BALCÃO, CAMA REDONDA E OUTROS CURSINHOS IMPORTANTES. SÓ NÃO FIZ O DE CACHAÇA, PORQUE ESSE EU JÁ TRAZIA). EM 27 ANOS DE AGRADÁVEIS SERVIÇOS PRESTADOS NA MÃE CHESF, VASCULHEI O NORDESTE DE CABO A RABO. TENHO POR ESSA EMPRESA, UMA VERDADEIRA GRATIDÃO. PELO RIO SÃO FRANCISCO, TENHO UMA LINDA VENERAÇÃO. ELE ME PARECE UM SANTO. COSTUMO DIZER QUE ESSE RIO VALE MAIS QUE DEZ MILHÕES DE POLÍTICOS. SEMPRE TORCI FERVOROSAMENTE PELO PROJETO DE TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO. PRINCIPALMENTE POR PENSAR QUE A FINALIDADE PRINCIPAL DO VELHO CHICO É SERVIR Á POPULAÇÃO NECESSITADA. E UM PROJETO DO TEMPO DE D. PEDRO II, NUNCA SAIU DO PAPEL POR CULPA DE POLÍTICOS SALAFRÁRIOS. MAIS DE 100 ANOS DE SOFRIMENTOS, HUMILHAÇÕES E ATRASOS DE UM POVO CHEIO DE DECÊNCIA, DE DIGNIDADE.
NO 'GOVERNO LULA' HOUVE O PONTA-PÉ INICIAL E ESPERO QUE A DILMA TRAGA MUITA FORÇA E BOA VONTADE NA EXECUÇÃO DA OBRA E QUE DEUS COM A SUA SABEDORIA E BONDADE, PROTEJA ESSE PROJETO E NÃO O DEIXE POR AÍ NO ROL DAS OBRAS INACABADAS. NA CHESF, ‘ARRUDIANDO’ O NORDESTE POR ESTES SERTÕES QUERIDOS E SOFRIDOS, EU TIVE A SORTE DE PLANTAR, REGAR E COLHER OS FRUTOS DOS BONS CONVÍVIOS COM ESSE POVO BOM E AMIGO, NASCIDO E CRIADO NO SERTÃO, ONDE FUI ENGROSSANDO AS VEIAS DA POESIA. E DE TÃO ENFEITIÇADO PELAS COISAS DO SERTÃO, DEPOIS DE APOSENTADO (1991) FORAM SURGINDO MILHARES DE VERSOS E EU FUI TENTANDO FALAR DAS BELEZAS NATURAIS DO SERTÃO E DOS SEUS GUERREIROS QUERIDOS E INJUSTIÇADOS.


LIVROS PUBLICADOS:

COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA
SERTÃO DE RIBA A BAXO
PASSADO NA PENEIRA
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES
SERTÃO DE RISOS E DORES
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA
GARANHUNS, TERRA DAS FLORES, DE AMOR, DE PAZ E FRIO
DIZENDO COMO TE AMO
COQUITEL DE POESIAS
VAQUEJADAS E PRESEPADAS.

QUERO REGISTRAR AQUI A MINHA GRATIDÃO A QUEM PROCURA UMA FORMA DE ME AJUDAR.

UM ABRAÇO DE AMIZADE, DE PAZ E DE POESIA.


ALDEMAR.













quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

PREFÁCIO III

PREFÁCIO.

DO LIVRO QUE ESCREVI PARA
NILTON CORRÊA DE OLIVEIRA.

VAQUEJADAS E PRESEPADAS.


O SERTÃO REJUVENESCE
NOVA ESTRELA RESPLANDECE
UM NOVO LIVRO APARECE
DESENTERRANDO O PASSADO.
O VAQUEIRO ESCREVE UM FILHO
E SOBRE NOVO ESTRIBILHO
A LUA DERRAMA O BRILHO
NO NORDESTE AGRACIADO.

UM NOVO TEMPO RAIANDO
NOVAS HISTÓRIAS CHEGANDO
UM ESCRITOR DESBRAVANDO
A SECA DE NOSSA TARRA.
A CANETA DE UM CALOURO
FAZ O SOL, NOSSO TESOURO
BORDAR COM FIOS DE OURO
O MANTO CINZA DA SERRA.

COM TODA A BELEZA SUA
A NOITE EXAUSTA RECUA
O SOL ENTREGA PRA LUA
UM SERTÃO CHEIO DE AMOR.
A ESTRELA DO ORIENTE
COM O SEU RAIO CADENTE
VEM ILUMINANDO A MENTE
DE UM VAQUEIRO ESCRITOR.

O SERTÃO TEM NOVA ALMA
A SECA BRAVA SE ACALMA
BROTARAM FLORES DE PALMA
MANDACARU E FAXEIRO.
PROSEIAM AS FERAS BRAVAS
ABRANDA O CALOR DAS LAVAS
EM HOMENAGEM AS PALAVRAS
ESCRITAS POR UM VAQUEIRO.

DEITA-SE O SOL NO POENTE
DESPERTA A NOITE INOCENTE
A ESTRELA DO ORIENTE
COM UM SORRISO DESPONTA.
NO JARDIM DAS BENEDITAS
CORREM AS FLORES AFLITAS
PRA LER AS COISAS BONITAS
QUE NILTON CORRÊA CONTA.

VEM SORRINDO A LUZ DIVINA
ILUMINANDO A CAMPINA
VEM A ÁGUA CRISTALINA
AFAGANDO OS ANIMAIS.
SÃO MILHARES DE FAMÍLIAS
SEGUINDO MILHÕES DE TRILHAS
ESCUTANDO AS MARAVILHAS
QUE O LIVRO DE NILTON TRÁS.

RI O SERTÃO BEM SERVIDO
CANTA O POVO ENVAIDECIDO
EM UM JARDIM COLORIDO
FLORES SE ENCHEM DE ORVALHO.
NUM ARVOREDO INFINITO
POR NILTON CORRÊA ESCRITO
BALANÇA UM LIVRO BONITO
PRESO NA PONTA DE UM GALHO.

NA COLINA O TROVÃO BERRA
UM CORISCO BEIJA A TERRA
NO ESPINHAÇO DA SERRA
FORMA-SE UM ARCO-CELESTE.
SÃO ASSIM ANUNCIADAS
HISTÓRIAS DE VAQUEJADAS
E CASOS DE PRESEPADAS
DOS VAQUEIROS DO NORDESTE.

UM COBERTOR DE GAROA
COBRE A FACE DA LAGOA
NO AÇUDE PELA PROA
OS SAPOS CANTAM TOADAS.
A PASSARADA VOANDO
PELO SERTÃO ABOIANDO
VAI ALEGRE DIVULGANDO
VAQUEJADAS E PRESEPADAS .

UM CHOCALHO NO CÉU BADALA
A VAQUEIRAMA SE CALA
PRA LER UM LIVRO QUE FALA
ENCANTOS DA SUA HISTÓRIA.
BATE FORTE O CORAÇÃO
DO VAQUEIRO DO SERTÃO
OLHANDO A RESSURREIÇÃO
DO SEU PASSADO DE GLÓRIA.

HOJE O CÉU VIROU SERTÃO
ONDE LINDA MULTIDÃO
EXIBE UM LIVRO NA MÃO
COMO SE FOSSE UM TROFÉU.
O PADRE CÍCERO ROMÃO
BENZE A PISTA DE MOURÃO
PRA AQUELES QUE JÁ ESTÃO
CORRENDO BOI LÁ NO CÉU.

Nenhum comentário:

Postar um comentário