ABRAÇÃO DE BOAS-VINDAS.



PODE ENTRAR. FIQUE Á VONTADE.

VOCÊ NO CANTO DA POESIA,

AO ENTRAR TRAZ ALEGRIA

AO SAIR DEIXA SAUDADE.

UM POUCO DE MIM



SOU PERNAMBUCANO NASCIDO EM GARANHUNS. CRIADO NO MATO, NA FAZENDA LAGOA DE BELAMENTE, DISTANTE 12 KM DO COLÉGIO DIOCESANO ONDE ESTUDEI O 1º CICLO. ANTES DISSO ESTUDAVA EM CASA NUMA ESCOLA RURAL FUNDADA POR MEU PAI, NO TEMPO DA PALMATÓRIA.
FOI UMA LINDA INFÂNCIA, CONVIVENDO COM UM POVO SIMPLES, HONESTO E TRABALHADOR.
APRENDI GOSTAR, ADMIRAR E SEGUIR ESSA GENTE BOA, HUMILDE, SINCERA, SOFREDORA, CHEIA DE SABEDORIA, DE RESPONSABILIDADE E DE ALMA FORROZEIRA, VERSOS BREJEIROS, DE BENDITOS E REISADOS, DE ABOIOS E TOADAS, DAS CONVERSAS SEMPRE AFINADAS E AS VIOLAS TAMBÉM.
DEPOIS DE HOMEM QUASE FEITO, FUI AOS POUCOS ME AFASTANDO, COMO TODOS OS RAPAZES DE CIDADES SEM INDÚSTRIAS, QUE SAEM A PROCURA DE MELHORES RUMOS. ESTIVE NA AERONÁUTICA, EM RECIFE, DOIS ANOS. EM 60 FUI TRABALHAR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. MAS MEU PENSAMENTO VIVIA NO NORDESTE, NA COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO, CHESF. EM 64 CONSEGUI UMA VAGA E ENTREI NA
MÃE CHESF. NELA GANHEI E GOZEI A VIDA. FIZ O 2º CICLO EM RECIFE E FIZ 8 CURSOS TÉCNICOS POR CONTA DA EMPRESA. (E POR MINHA CONTA ME ESPECIALIZEI EM DANÇA-DE-RODA, RABO-DE-SAIA, NOITES VIRADAS, LUZ NEGRA, PÉ-DE-BALCÃO, CAMA REDONDA E OUTROS CURSINHOS IMPORTANTES. SÓ NÃO FIZ O DE CACHAÇA, PORQUE ESSE EU JÁ TRAZIA). EM 27 ANOS DE AGRADÁVEIS SERVIÇOS PRESTADOS NA MÃE CHESF, VASCULHEI O NORDESTE DE CABO A RABO. TENHO POR ESSA EMPRESA, UMA VERDADEIRA GRATIDÃO. PELO RIO SÃO FRANCISCO, TENHO UMA LINDA VENERAÇÃO. ELE ME PARECE UM SANTO. COSTUMO DIZER QUE ESSE RIO VALE MAIS QUE DEZ MILHÕES DE POLÍTICOS. SEMPRE TORCI FERVOROSAMENTE PELO PROJETO DE TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO. PRINCIPALMENTE POR PENSAR QUE A FINALIDADE PRINCIPAL DO VELHO CHICO É SERVIR Á POPULAÇÃO NECESSITADA. E UM PROJETO DO TEMPO DE D. PEDRO II, NUNCA SAIU DO PAPEL POR CULPA DE POLÍTICOS SALAFRÁRIOS. MAIS DE 100 ANOS DE SOFRIMENTOS, HUMILHAÇÕES E ATRASOS DE UM POVO CHEIO DE DECÊNCIA, DE DIGNIDADE.
NO 'GOVERNO LULA' HOUVE O PONTA-PÉ INICIAL E ESPERO QUE A DILMA TRAGA MUITA FORÇA E BOA VONTADE NA EXECUÇÃO DA OBRA E QUE DEUS COM A SUA SABEDORIA E BONDADE, PROTEJA ESSE PROJETO E NÃO O DEIXE POR AÍ NO ROL DAS OBRAS INACABADAS. NA CHESF, ‘ARRUDIANDO’ O NORDESTE POR ESTES SERTÕES QUERIDOS E SOFRIDOS, EU TIVE A SORTE DE PLANTAR, REGAR E COLHER OS FRUTOS DOS BONS CONVÍVIOS COM ESSE POVO BOM E AMIGO, NASCIDO E CRIADO NO SERTÃO, ONDE FUI ENGROSSANDO AS VEIAS DA POESIA. E DE TÃO ENFEITIÇADO PELAS COISAS DO SERTÃO, DEPOIS DE APOSENTADO (1991) FORAM SURGINDO MILHARES DE VERSOS E EU FUI TENTANDO FALAR DAS BELEZAS NATURAIS DO SERTÃO E DOS SEUS GUERREIROS QUERIDOS E INJUSTIÇADOS.


LIVROS PUBLICADOS:

COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA
SERTÃO DE RIBA A BAXO
PASSADO NA PENEIRA
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES
SERTÃO DE RISOS E DORES
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA
GARANHUNS, TERRA DAS FLORES, DE AMOR, DE PAZ E FRIO
DIZENDO COMO TE AMO
COQUITEL DE POESIAS
VAQUEJADAS E PRESEPADAS.

QUERO REGISTRAR AQUI A MINHA GRATIDÃO A QUEM PROCURA UMA FORMA DE ME AJUDAR.

UM ABRAÇO DE AMIZADE, DE PAZ E DE POESIA.


ALDEMAR.













domingo, 9 de janeiro de 2011

PAPA VIZINHA.


PAPA VIZINHA.


DEPOIS DA TUA PARTIDA
AUMENTOU O MEU SOSSEGO
ARRANJEI UM BOM EMPREGO
SOU UM CARA BEM DE VIDA.
TUA VIZINHA QUERIDA
QUE ME CHAMAVA DE RUIM
HOJE É QUEM CUIDA DE MIM
NÃO ME DEIXA FALTAR NADA
NEM A CAMA PERFUMADA
NEM FLORES NO MEU JARDIM.

DEPOIS QUE ESTOU COM ELA
NÃO FALTA BODE NA BRASA
NEM CAFÉ TORRADO EM CASA
NEM MUNGUNZÁ NA TIJELA.
TEM FRANGO DE CABIDELA
TEM OVOS DE CAPOEIRA
TEM PREÁ NA FRIGIDEIRA
TEM XERÉM E TEM CUSCUZ
TEM JANTAR A MEIA-LUZ
TEM AMOR A NOITE INTEIRA.

QUANDO MOREI COM VOCÊ
NÃO ME SOBRAVA DINHEIRO
A CAMA TINHA MAL CHEIRO
ERA O MAIOR FUZUÊ.
MAS AGORA SÓ PORQUE
VIVES DISTANTE DE MIM
ACABOU-SE TEMPO RUIM
E O PERFUME DO MEU LEITO
PARECE O AMOR-PERFEITO
QUE NASCE NO MEU JARDIM.

TROCA-TROCA.


TROCA-TROCA.


ELA ANDA EM MACUMBA
SÓ FALA EM COISAS DO ALÉM
E POR SINAL BATE BEM
O TAMBOR E O ZABUMBA.
TEM COISAS DE CATACUMBA
DE BAIXO DA CAMARINHA
GATO PRETO NA COZINHA
GALINHA PRETA NA SALA
E POR ISSO EU VOU TROCÁ-LA
PELA FILHA DA VIZINHA.

O REZADOR


O REZADOR.


VENDO A SECA DEMORADA
COM A VIOLA AFINADA
SENTEI NA MINHA CALÇADA
QUE A LUA BRANCA ILUMINA.
FUI CANTAR NÃO SUPORTEI
SENTINDO FOME CHOREI
MINHAS LÁGRIMAS JOGUEI
PARA MOLHAR A CAMPINA.

QUANDO PEÇO PELO NOME
DE JESUS A SECA SOME
A DESGRAÇADA DA FOME
AUMENTA A FÉ DA PESSOA.
PASSEI A NOITE PEDINDO
O OUTRO DIA FOI LINDO
O NÍVEL D’ÁGUA SUBINDO
NO PAREDÃO DA LAGOA.

JESUS CRISTO É MEU SENHOR
É MEU PAI É MEU PASTOR
E O VÉU DO SEU AMOR
ENVOLVE O MEU CORAÇÃO.
NOS MESES POSTERIORES
BROTARAM MILHÕES DE FLORES
E DEIXARAM MULTICORES
OS PRADOS DO MEU SERTÃO.

OUTROS TROVADORES.


OUTROS TROVADORES.


A CORUJA NO TABULEIRO
DÁ O SEU GRITO AGOUREIRO
CHAMANDO O SEU COMPANHEIRO
PRA SUA FOLGA DIURNA.
O PEQUENO PIRILAMPO
TAMBÉM ESTAVA NO TRAMPO
DE MANHÃ FOGE DO CAMPO
PROCURA UM CANTO E SE ENFURNA.

NA FLORESTA COLORIDA
CANTA A BURGUESA ESCONDIDA
SUA CANÇÃO PREFERIDA
QUE FALA DOS SEUS AMORES.
DÁ UM BERRO O BEM-TE-VI
PRA XINGAR O COLIBRI
QUE VEM COM SEU FRENESI
PRA COCHICHAR COM AS FLORS.

QUASE NOITE UM PASSARINHO
CORTA VENTO PRA SEU NINHO
GUIADO POR UM RESTINHO
DA CLARIDADE DO DIA.
EU FICO NO MEU TERRAÇO
COM A VIOLA NO BRAÇO
O CORAÇÃO PASSO A PASSO
SE DESMANCHA EM POESIA.

LUAR DE PRATA.


LUAR DE PRATA.

NUM GANCHO DE AROEIRA
GUARDO MINHA CARTUCHEIRA
PENDURO ESPORA E PERNEIRA
CHAPÉU-DE-COURO E GIBÃO.
DEPOIS FICO ADMIRANDO
A NEVE BRANCA PASSANDO
O VENTO ATRÁS EMPURRADO
SEM RUMO, SEM DIREÇÃO.

O LUAR DA COR DE PRATA
MERGULHA NUMA CASCATA
SE DESPEDINDO DA MATA
OUTRA MANHÃ ANUNCIA.
CONTEMPLANDO O ARREBOL
CANTA ALEGRE O ROUXINOL
UM LINDO RAIO DE SOL
RASGA A CORTINA DO DIA.

LINDA MULATA.


LINDA MULATA.


LINDA MATUTA MORENA
MULATA DA MINHA TERRA
QUE ENFEITA UM PÉ-DE-SERRA
COMO A FLOR DA AÇUCENA.

MULATA QUANDO TE VEJO
MEU OLHAR TEM CAPTADO
ESSE TEU OLHAR MOLHADO
REVELANDO O TEU DESEJO.

MAS NÃO DÁ CERTO AMOR
DE VELHO COM MOÇA NOVA
SE O TEMPO JÁ FEZ A COVA
PRA SEPULTAR MEU VIGOR.

LINDA MULATA É TÃO TRISTE
VIVER COM ESSE EMPECILHO
NÃO OFUSCAR ESSE BRILHO
QUE NO TEU OLHAR EXISTE.

HOJE SÓ TENHO A VONTADE
O RESTO FICA INDISPOSTO
E O TEMPO SOPROU DO ROSTO
OS TRAÇOS DA MOCIDADE.

PARA APAGAR ESSE BRILHO
NÃO TENHO MAIS TANTA SORTE
EU JÁ ESTOU VENDO A MORTE
COM O DEDO NO GATILHO.

ARMAZÉM DE AMOR.


ARMAZÉM DE AMOR.


PRA VER DIREITO SE ESTOU DORMINDO
DOU TAPINHA, ME APALPO, ME CUTUCO
MAS NÃO ESTOU, NEM FIQUEI CADUCO
É AMOR DE MAIS QUE ESTOU SENTINDO.
HOJE O MEU MUNDO É SUPERLINDO
DE AMOR SEM LIMITE, AMOR SEM PAR
E SE ESTE AMOR EXAGERADO EXTRAVAZAR
EU VOU ARMAZENÁ-LO SÓ PORQUE
HOJE O DIA FOI TÃO LINDO COM VOCÊ
QUE A NOITE NÃO PRECISO MAIS SONHAR.

OUTRAS INDECISÕES.


OUTRAS INDECISÕES.



ALGO INCOMUM EM MEU PEITO SE COMPLICA
E AO TE VER CAIO EM CONTRADIÇÃO
COM SENTIMENTOS DE REPULSA E ATRAÇÃO
QUE FREUD JÁ TENTOU E NÃO ME EXPLICA.
CERTAMENTE O MEU EGO SE DUPLICA
E SE MESCLA DE AVERSÃO E SIMPATIA
COMO UM PÉ DE ESPINHEIRO PROPICIA
UM ESPAÇO RESERVADO A UMA FLOR
EXISTEM MAIS MISTÉRIOS NO AMOR
DO QUE JULGA NOSSA VÃ HIPOCRISIA.




SINAL DE INFELICIDADE.


SINAL DE INFELICIDADE.



A ALVORADA SURGINDO
UM PASSARINHO CANTANDO
UMA FLOR DESABROCHANDO
UMA CRIANÇA SORRINDO.
DA LUA NOVA CAINDO
NAS PRACINHAS DA CIDADE
TODA SENSUALIDADE
COM MAGIA E COM FEITIÇO
SE VOCÊ NÃO GOSTA DISSO
NÃO SENTE FELICIDADE.

ACHAR LINDO UM COQUEIRAL
O SOL A TARDE SE PONDO
VIBRAR OVINDO O ESTRONDO
DO TROVÃO NO LITORAL.
DAQUELE IMENSO AREAL
FAZER CONFORTÁVEL LEITO
ACHAR QUE TUDO É PERFEITO
COMO O BOTÃO DE UM JASMIM
SE VOCÊ NÃO PENSA ASSIM
NÃO HÁ AMOR EM SEU PEITO.

SE VOCÊ NÃO VIBRA QUANDO
VER O CRUZEIRO-DO-SUL
A BRILHAR NO CÉU AZUL
AOS POUCOS SE DECLINANDO.
E SE NÃO FICA XINGANDO
O SOL DA SUA CIDADE
QUE NÃO FEZ UMA CARIDADE
NA SUA PRAIA DOMINGO
VOCÊ NÃO TEM NEM UM PINGO
DA MINHA FELICIDADE.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

BELEZAS DO SERTÃO.


BELEZAS DO SERTÃO.


DESPONTA O SOL NO NASCENTE
PINTANDO UM QUADRO NA SERRA
E UM CANÁRIO-DA-TERRA
CANTA BONITO E CONTENTE.
RINDO A LUA NO POENTE
CHARMOSA SE DESPEDIA
NESSA HORA A POESIA
É TRANSFORMADA EM CANÇÃO
COMO É LINDO O MEU SERTÃO
QUANDO VAI RAIANDO O DIA.

DECLINA O SOL NO POENTE
O HOMEM VOLTA Á PALHOÇA
UMA OVELHA NA ROÇA
PUXA O REBANHO NA FRENTE.
O VAQUEIRO VELHO SENTE
O BAFO DA VENTANIA
INSPIRADO EM POESIA
SOLTA UM ABOIO NA SERRA
COMO É LINDA A MINHA TERRA
SE DESPEDINDO DO DIA.

RONCA O TROVÃO NO NASCENTE
UM BODE COM MEDO BERRA
O RAIO ILUMINA A SERRA
A CHUVA CAI DE REPENTE.
A MATUTA SORRIDENTE
NA BICA BOTA A BACIA
UM CANDEEIRO ALUMIA
O MATUTO NO OITÃO
SEPARA MILHO E FEIJÃO
PRA PLANTAR NO OUTRO DIA.


sábado, 1 de janeiro de 2011

IMFORMAÇÃO AOS AMIGOS E FAMILIARES.


INFORMAÇÃO AOS AMIGOS E FAMILIARES.



QUANDO VOU COMPRAR SAPATO
EXIJO 42
COSTUMO PROVAR DEPOIS
E SEMPRE FICOU EXATO.
MAS ACONTECE DE FATO
QUE NÃO SOU MUITO EXIGENTE
E SE RECEBER UM PRESENTE
DE AMIGOS COMO VOCÊS
DE 48 Á 33
VOU USAR MUITO CONTENTE.

OBS:
PRETO OU AMARRONZADO.