ABRAÇÃO DE BOAS-VINDAS.



PODE ENTRAR. FIQUE Á VONTADE.

VOCÊ NO CANTO DA POESIA,

AO ENTRAR TRAZ ALEGRIA

AO SAIR DEIXA SAUDADE.

UM POUCO DE MIM



SOU PERNAMBUCANO NASCIDO EM GARANHUNS. CRIADO NO MATO, NA FAZENDA LAGOA DE BELAMENTE, DISTANTE 12 KM DO COLÉGIO DIOCESANO ONDE ESTUDEI O 1º CICLO. ANTES DISSO ESTUDAVA EM CASA NUMA ESCOLA RURAL FUNDADA POR MEU PAI, NO TEMPO DA PALMATÓRIA.
FOI UMA LINDA INFÂNCIA, CONVIVENDO COM UM POVO SIMPLES, HONESTO E TRABALHADOR.
APRENDI GOSTAR, ADMIRAR E SEGUIR ESSA GENTE BOA, HUMILDE, SINCERA, SOFREDORA, CHEIA DE SABEDORIA, DE RESPONSABILIDADE E DE ALMA FORROZEIRA, VERSOS BREJEIROS, DE BENDITOS E REISADOS, DE ABOIOS E TOADAS, DAS CONVERSAS SEMPRE AFINADAS E AS VIOLAS TAMBÉM.
DEPOIS DE HOMEM QUASE FEITO, FUI AOS POUCOS ME AFASTANDO, COMO TODOS OS RAPAZES DE CIDADES SEM INDÚSTRIAS, QUE SAEM A PROCURA DE MELHORES RUMOS. ESTIVE NA AERONÁUTICA, EM RECIFE, DOIS ANOS. EM 60 FUI TRABALHAR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. MAS MEU PENSAMENTO VIVIA NO NORDESTE, NA COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO, CHESF. EM 64 CONSEGUI UMA VAGA E ENTREI NA
MÃE CHESF. NELA GANHEI E GOZEI A VIDA. FIZ O 2º CICLO EM RECIFE E FIZ 8 CURSOS TÉCNICOS POR CONTA DA EMPRESA. (E POR MINHA CONTA ME ESPECIALIZEI EM DANÇA-DE-RODA, RABO-DE-SAIA, NOITES VIRADAS, LUZ NEGRA, PÉ-DE-BALCÃO, CAMA REDONDA E OUTROS CURSINHOS IMPORTANTES. SÓ NÃO FIZ O DE CACHAÇA, PORQUE ESSE EU JÁ TRAZIA). EM 27 ANOS DE AGRADÁVEIS SERVIÇOS PRESTADOS NA MÃE CHESF, VASCULHEI O NORDESTE DE CABO A RABO. TENHO POR ESSA EMPRESA, UMA VERDADEIRA GRATIDÃO. PELO RIO SÃO FRANCISCO, TENHO UMA LINDA VENERAÇÃO. ELE ME PARECE UM SANTO. COSTUMO DIZER QUE ESSE RIO VALE MAIS QUE DEZ MILHÕES DE POLÍTICOS. SEMPRE TORCI FERVOROSAMENTE PELO PROJETO DE TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO. PRINCIPALMENTE POR PENSAR QUE A FINALIDADE PRINCIPAL DO VELHO CHICO É SERVIR Á POPULAÇÃO NECESSITADA. E UM PROJETO DO TEMPO DE D. PEDRO II, NUNCA SAIU DO PAPEL POR CULPA DE POLÍTICOS SALAFRÁRIOS. MAIS DE 100 ANOS DE SOFRIMENTOS, HUMILHAÇÕES E ATRASOS DE UM POVO CHEIO DE DECÊNCIA, DE DIGNIDADE.
NO 'GOVERNO LULA' HOUVE O PONTA-PÉ INICIAL E ESPERO QUE A DILMA TRAGA MUITA FORÇA E BOA VONTADE NA EXECUÇÃO DA OBRA E QUE DEUS COM A SUA SABEDORIA E BONDADE, PROTEJA ESSE PROJETO E NÃO O DEIXE POR AÍ NO ROL DAS OBRAS INACABADAS. NA CHESF, ‘ARRUDIANDO’ O NORDESTE POR ESTES SERTÕES QUERIDOS E SOFRIDOS, EU TIVE A SORTE DE PLANTAR, REGAR E COLHER OS FRUTOS DOS BONS CONVÍVIOS COM ESSE POVO BOM E AMIGO, NASCIDO E CRIADO NO SERTÃO, ONDE FUI ENGROSSANDO AS VEIAS DA POESIA. E DE TÃO ENFEITIÇADO PELAS COISAS DO SERTÃO, DEPOIS DE APOSENTADO (1991) FORAM SURGINDO MILHARES DE VERSOS E EU FUI TENTANDO FALAR DAS BELEZAS NATURAIS DO SERTÃO E DOS SEUS GUERREIROS QUERIDOS E INJUSTIÇADOS.


LIVROS PUBLICADOS:

COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA
SERTÃO DE RIBA A BAXO
PASSADO NA PENEIRA
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES
SERTÃO DE RISOS E DORES
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA
GARANHUNS, TERRA DAS FLORES, DE AMOR, DE PAZ E FRIO
DIZENDO COMO TE AMO
COQUITEL DE POESIAS
VAQUEJADAS E PRESEPADAS.

QUERO REGISTRAR AQUI A MINHA GRATIDÃO A QUEM PROCURA UMA FORMA DE ME AJUDAR.

UM ABRAÇO DE AMIZADE, DE PAZ E DE POESIA.


ALDEMAR.













quarta-feira, 21 de julho de 2010

UM BOI MORDIDO DE COBRA.

UM BOI MORDIDO DE COBRA.
(Produção nota dez)


QUANDO ACORDEI NESSE DIA
TUDO AINDA ESTAVA ESCURO
ENCONTREI MAMÃE NO MURO
AREANDO UMA BACIA.
AO ME VER ELA DIZIA:
MEU FILHO DEUS TE ABENÇOE
SE TU VAIS SALVAR O BOI
MORDIDO PELA SERPENTE
PODE IR DORMIR NOVAMENTE
PORQUE O TEU PAI JÁ FOI.

UM CONVIDADO ESPECIAL.

UM CONVIDADO ESPECIAL.


MEU PAI VEM PASSAR SEU DIA
NA FAZENDA BELAMENTE
BEBER ÁGUA DA VERTENTE
REVER SUA VACARIA.
OUVIR MINHA POESIA
PREPARAR MINHA BIRITA
CANTAR TOADA BONITA
FAZER TUDO QUE ELE QUER
E NO DIA QUE DEUS QUISER
VOU PAGAR SUA VISITA.

UM DIA BEM DIFERENTE.

UM DIA BEM DIFERENTE.


QUEM É QUE VER NO SERTÃO
O SOL BROTANDO DA TERRA
PRA BEIJAR O PÉ DA SERRA
E NÃO SENTE UMA EMOÇÃO?
EU QUE TENHO CORAÇÃO
VEJO UM DIA DIFERENTE
FAÇO UM VERSO DE REPENTE
PRA DIZER COM POESIA
QUE É DIFERENTE O DIA
QUE É DIA DO PAI DA GENTE.

UM LINDO RAIO DE LUZ.

UM LINDO RAIO DE LUZ.


SILENCIARAM-SE OS SINOS
NO ALTO DO CAMPANÁRIO
MUDOU DA TERRA O CENÁRIO
PARARAM OS PEREGRINOS.
NA PRACINHA OS MENINOS
FIZERAM O SINAL DA CRUZ
UM LINDO RAIO DE LUZ
DOMINOU O INFINITO
NAQUELE ENCONTRO BONITO
ENTRE MEU PAI E JESUS.

O QUADRO DA AURORA.

O QUADRO DA AURORA.


A MÃO DE NOSSA SENHORA
AO ROMPER DA ALVORADA
MEXEU A TINTA ROSADA
PINTOU O QUADRO DA AURORA.
JESUS CRISTO NESSA HORA
FISCALIZANDO OS ESPAÇOS
MUDOU A TINTA DOS TRAÇOS
O QUADRO SE ALTEROU
DEU A MÃO A QUEM FICOU
E LEVOU PAPAI NOS BRAÇOS.

DO FOGÃO DE CELESTINA.

DO FOGÃO DE CELESTINA.



EU HOJE TE MANDO FLORES
CANTIGA DE PASSARINHOS
DOS FILHOS E DOS NETINHOS
NOSSOS SINCEROS LOUVORES.
TOADAS DE ABOIADORES
FALANDO DE ANTIGAMENTE
UM XERÉM COM LEITE QUENTE
DO FOGÃO DE CELESTINA
ÁGUA DOCE E CRISTALINA
DA FAZENDA BELAMENTE.

SONHEI REVENDO O PASSADO.

SONHEI REVENDO O PASSADO.



NA COZNHA AINDA TEM
UM FOGÃO VELHO SEM BRILHO
O PILÃO DE QUEBRAR MILHO
PRA MAMÃE FAZER XERÉM.
NO SONHO EU VIA TAMBÉM
UMA CHALEIRA SEM ASA
E O MEU PAI ENTRANDO EM CASA
COM A ROUPA DE VAQUEIRO
SORRIA SENTINDO O CHEIRO
DA TRIPA ASSANDO NA BRASA.

CASCÃO DO FUNDO DO TACHO.

CASCÃO DO FUNDO DO TACHO.



EU SONHEI LÁ NO ALÉM
DE MAMÃE GANHEI UM BEIJO
MEU PAI FABRICAVA QUEIJO
EU FUI AJUDAR TAMBÉM.
O MEU PAI AINDA TEM
A PRÁTICA DE ANTIGAMENTE
PORQUE O SONHO DA GENTE
FAZ UM ANO EM FEVEREIRO
E ATÉ HOJE EU SINTO O CHEIRO
DA RAPA DO QUEIJO QUENTE.

OS CUIDADOS DE MEU PAI.

OS CUIDADOS DE MEU PAI.


MEU PAI MANDOU TER CUIDADO
COM RIO QUE BOTA CHEIA
NÃO CONFIAR EM CIGANO
NEM FALAR DA VIDA ALHEIA
BEBER COM MODERAÇÃO
SÓ AGIR COM A RAZÃO
E NÃO GOSTAR DE MULHER FEIA.

NOSSO ENCONTRO NO ALÉM.

NOSSO ENCONTRO NO ALÉM.



EU ENCONTRO A MINHA RIMA
VENDO OS ENCANTOS DA LUA
COM TODA A BELEZA SUA
VISTA DE BAIXO PRA CIMA.
MAS O DIA SE APROXIMA
DE VER MEU PAI NO ALÉM
EU PRECISO VER TAMBÉM
SE A MINHA RIMA EU ACHO
VENDO DE CIMA PRA BAIXO
O QUE É QUE A LUA TEM.

EFICIENCIA NOTA 10.

EFICIENCIA NOTA DEZ.



O VENTO CHEIO DE AMORES
COCHICHAVA COM AS TELHAS
E UM CORAL DE ABELHAS
HIPNOTIZAVA AS FLORES.
EU LARGAVA OS COBERTORES
DEIXAVA A CAMA LIGEIRO
PRA IR LÁ NO ATOLEIRO
SALVAR UM BOI QUE CAÍA
MAS MINHA MÃE ME DIZIA
QUE O MEU PAI FOI PRIMEIRO.

terça-feira, 20 de julho de 2010

BOA PINGA NO BALCÃO.

BOA PINGA NO BALCÃO.



EU QUERO NO MEU SÃO JOÃO
LENHA SECA NA FOGUEIRA
UMA MULHER FORROZEIRA
PRA A GENTE DANÇAR BAIÃO.
BOA PINGA NO BALCÃO.
UMA CARRETA DE MILHO
UM CARNEIRO E UM NOVILHO
NO BALCÃO DO BOTEQUIM
SE MEU PAI GOSTAVA ASSIM
REPASSOU PARA O SEU FILHO.

O CHÁ QUE MEU PAI FAZIA.

O CHÁ QUE MEU PAI FAZIA.


UM GALO VELHO GOGUENTO
UM BEZERRO EMPANZINADO
UM CAVALO ESTRUPIADO
UM BOI COM ENTUPIMENTO.
PISADURA DE JUMENTO
UMA MULHER COM FEITIÇO
MENINO COM PANARIÇO
UM CÃO COM HIDROFOBIA
O CHÁ QUE MEU PAI FAZIA
SERVIA PRA TUDO ISSO.

SÓ A SAUDADE É INTEIRA.

SÓ A SAUDADE É INTEIRA.


RIPAS VELHAS PENDURADAS
UM ENXAME DE ABELHAS
MATO CRESCENDO NAS TELHAS
E AS PAREDES RACHADAS.
JANELAS ESCANGALHADAS
CUPIM COMENDO A MADEIRA
A LINHA DA CUMEEIRA
JÁ ANDA CAI-MAS-NÃO-CAI
DA CASINHA DE MEU PAI
SÓ A SAUDADE É INTEIRA.