ABRAÇÃO DE BOAS-VINDAS.



PODE ENTRAR. FIQUE Á VONTADE.

VOCÊ NO CANTO DA POESIA,

AO ENTRAR TRAZ ALEGRIA

AO SAIR DEIXA SAUDADE.

UM POUCO DE MIM



SOU PERNAMBUCANO NASCIDO EM GARANHUNS. CRIADO NO MATO, NA FAZENDA LAGOA DE BELAMENTE, DISTANTE 12 KM DO COLÉGIO DIOCESANO ONDE ESTUDEI O 1º CICLO. ANTES DISSO ESTUDAVA EM CASA NUMA ESCOLA RURAL FUNDADA POR MEU PAI, NO TEMPO DA PALMATÓRIA.
FOI UMA LINDA INFÂNCIA, CONVIVENDO COM UM POVO SIMPLES, HONESTO E TRABALHADOR.
APRENDI GOSTAR, ADMIRAR E SEGUIR ESSA GENTE BOA, HUMILDE, SINCERA, SOFREDORA, CHEIA DE SABEDORIA, DE RESPONSABILIDADE E DE ALMA FORROZEIRA, VERSOS BREJEIROS, DE BENDITOS E REISADOS, DE ABOIOS E TOADAS, DAS CONVERSAS SEMPRE AFINADAS E AS VIOLAS TAMBÉM.
DEPOIS DE HOMEM QUASE FEITO, FUI AOS POUCOS ME AFASTANDO, COMO TODOS OS RAPAZES DE CIDADES SEM INDÚSTRIAS, QUE SAEM A PROCURA DE MELHORES RUMOS. ESTIVE NA AERONÁUTICA, EM RECIFE, DOIS ANOS. EM 60 FUI TRABALHAR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. MAS MEU PENSAMENTO VIVIA NO NORDESTE, NA COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO, CHESF. EM 64 CONSEGUI UMA VAGA E ENTREI NA
MÃE CHESF. NELA GANHEI E GOZEI A VIDA. FIZ O 2º CICLO EM RECIFE E FIZ 8 CURSOS TÉCNICOS POR CONTA DA EMPRESA. (E POR MINHA CONTA ME ESPECIALIZEI EM DANÇA-DE-RODA, RABO-DE-SAIA, NOITES VIRADAS, LUZ NEGRA, PÉ-DE-BALCÃO, CAMA REDONDA E OUTROS CURSINHOS IMPORTANTES. SÓ NÃO FIZ O DE CACHAÇA, PORQUE ESSE EU JÁ TRAZIA). EM 27 ANOS DE AGRADÁVEIS SERVIÇOS PRESTADOS NA MÃE CHESF, VASCULHEI O NORDESTE DE CABO A RABO. TENHO POR ESSA EMPRESA, UMA VERDADEIRA GRATIDÃO. PELO RIO SÃO FRANCISCO, TENHO UMA LINDA VENERAÇÃO. ELE ME PARECE UM SANTO. COSTUMO DIZER QUE ESSE RIO VALE MAIS QUE DEZ MILHÕES DE POLÍTICOS. SEMPRE TORCI FERVOROSAMENTE PELO PROJETO DE TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO. PRINCIPALMENTE POR PENSAR QUE A FINALIDADE PRINCIPAL DO VELHO CHICO É SERVIR Á POPULAÇÃO NECESSITADA. E UM PROJETO DO TEMPO DE D. PEDRO II, NUNCA SAIU DO PAPEL POR CULPA DE POLÍTICOS SALAFRÁRIOS. MAIS DE 100 ANOS DE SOFRIMENTOS, HUMILHAÇÕES E ATRASOS DE UM POVO CHEIO DE DECÊNCIA, DE DIGNIDADE.
NO 'GOVERNO LULA' HOUVE O PONTA-PÉ INICIAL E ESPERO QUE A DILMA TRAGA MUITA FORÇA E BOA VONTADE NA EXECUÇÃO DA OBRA E QUE DEUS COM A SUA SABEDORIA E BONDADE, PROTEJA ESSE PROJETO E NÃO O DEIXE POR AÍ NO ROL DAS OBRAS INACABADAS. NA CHESF, ‘ARRUDIANDO’ O NORDESTE POR ESTES SERTÕES QUERIDOS E SOFRIDOS, EU TIVE A SORTE DE PLANTAR, REGAR E COLHER OS FRUTOS DOS BONS CONVÍVIOS COM ESSE POVO BOM E AMIGO, NASCIDO E CRIADO NO SERTÃO, ONDE FUI ENGROSSANDO AS VEIAS DA POESIA. E DE TÃO ENFEITIÇADO PELAS COISAS DO SERTÃO, DEPOIS DE APOSENTADO (1991) FORAM SURGINDO MILHARES DE VERSOS E EU FUI TENTANDO FALAR DAS BELEZAS NATURAIS DO SERTÃO E DOS SEUS GUERREIROS QUERIDOS E INJUSTIÇADOS.


LIVROS PUBLICADOS:

COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA
SERTÃO DE RIBA A BAXO
PASSADO NA PENEIRA
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES
SERTÃO DE RISOS E DORES
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA
GARANHUNS, TERRA DAS FLORES, DE AMOR, DE PAZ E FRIO
DIZENDO COMO TE AMO
COQUITEL DE POESIAS
VAQUEJADAS E PRESEPADAS.

QUERO REGISTRAR AQUI A MINHA GRATIDÃO A QUEM PROCURA UMA FORMA DE ME AJUDAR.

UM ABRAÇO DE AMIZADE, DE PAZ E DE POESIA.


ALDEMAR.













domingo, 28 de fevereiro de 2010

NEBLINA DE GARANHUNS.

NEBLINA DE GARANHUNS.

GARANHUNS, 28. 02. 2010.


ACORDEI ANTES DA HORA
PRA VER AS FLORES DOS CAMPOS
VI FARÓIS DE PIRILAMPOS
AINDA ACESOS LÁ FORA.
PRA ENFEITAR A AURORA
A NATUREZA DIVINA
COM UM MANTO DE NEBLINA
COBRIU AS FLORES SORRINDO
VENDO ESSE QUADRO TÃO LINDO
COMPAREI COM CELESTINA.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

O FILHO DE MARIA.

O FILHO DE MARIA.

GARANHUNS, 27. 02. 2010.


EM MENOS DE UM SEGUNDO
A LUA BRANCA BRILHAVA
COMO QUEM FOTOGRAFAVA
TODA BELEZA DO MUNDO.
FOI UM MOMENTO PROFUNDO
NUMA POBRE ESTREBARIA
NASCE O FILHO DE MARIA
PRA ME DÁ A SALVAÇÃO
MUITO AMOR NO CORAÇÃO
E O DOM DA POESIA.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

FLORES PRA MINHA MÃE.

FLORES PRA MINHA MÃE.

GARANHUNS. 26. 02. 2010.


A DOR FOI FORTE E MESQUINHA
NAQUELAS HORAS MALVADAS
QUE OUVI AS BADALADAS
NO SINO DA CAPELINHA.
NESSE DIA A MÃE RAINHA
FAZIA NO SEU JARDIM
UMA COROA DE JASMIM
DE HORTÊNCIA E MARGARIDA
PRA A MINHA MÃE QUERIDA
E DEPOIS VAI FAZER PRA MIM.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A LUA BRANCA.

A LUA BRANCA.

PAULO AFONSO, 25. 02. 2010.


ACORDEI BEM INSPIRADO
FUI CONTEMPLAR O RELENTO
O ESPANADOR DO VENTO
DEIXAVA O CÉU AZULADO.
SÃO JORGE ESTAVA CANSADO
DA NOITE SE DESPEDIA
A LUA BRANCA SORRIA
DO MEU OLHAR INOCENTE
ENVIOU PRA MINHA MENTE
UM MONTÃO DE POESIA.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

ESTRELA DO ORIENTE.

ESTRELA DO ORIENTE.

GARANHUNS, 24. 02. 2010


ACORDEI QUANDO PASSOU
BEM MUITO DA MEIA-NOITE
O VENTO DEU UM AÇOITE
QUE UM ASTRO SE APAGOU.
O MESMO QUE ILUMINOU
O SALVADOR QUANDO NASCIA
SEU NOME É ESTRELA-GUIA
OU ESTRELA DO ORIENTE
NESSA HORA O SOL-NASCENTE
ABRIU O PORTÃO DO DIA.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

DE MADRUGADA.

DE MADRUGADA.

CARUARU, 23. 02. 2010.


ACORDEI DE MADRUGADA
PARA CURTIR A BELEZA
DA DIVINA NATUREZA
AO ROMPER DA ALVORADA.
O MUGIDO DA BOIADA
NOS CURRAIS JÁ SE OUVIA
A MINHA MÃE ESCREVIA
UM POEMA EM CADA ESTRELA
QUANDO EU SORRIA AO VÊ-LA
ELA ME OLHAVA E SORRIA.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

UMA SANTA EM MEU JARDIM.

UMA SANTA EM MEU JARDIM.

CARUARU, 22. 02. 2010.


MAMÃE TÁ EM UM JAZIGO
DENTRO DO MEU CORAÇÃO
ENTOANDO UMA CANÇÃO
PARA ALEGRAR NOSSO ABRIGO.
CUIDA DO JARDIM COMIGO
DE UM JEITO QUE ME ENCANTA.
QUANDO ELA MUDA UMA PLANTA
AS FLORES JÁ VÃO SE ABRINDO
PENSO DE LONGE SORRINDO
QUE MINHA MÃE JÁ É SANTA.

FOI SÓ UMA VISITA.

FOI SÓ UMA VISITA.

GARANHUNS, 17. 02. 2010


QUEM DISSE A VOCÊ UM DIA
QUE MINHA MÃE FOI EMBORA?
ELA FAZ COMIGO AGORA
O CANTO DA POESIA.
O SEU OLHAR IRRADIA
MEU TRABALHO E MEU LAZER.
ELA SAIU SÓ PRA FAZER
UMA VISITA AO MEU PAI
MAS MORRER MAMÃE SÓ VAI
NO DIA QUE EU MORRER.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

ASTRO-REI.

ASTRO-REI.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


QUANDO DEUS CRIOU O MUNDO
DEIXOU A TERRA SOMBRIA
FEZ O MAR VERDE-AZULADO
CHEIO DE ENCANTO E MAGIA
E FEZ DO QUERIDO SERTÃO:
O BERÇO DA POESIA.

FEZ A LUA PARECIDA
COM A PEDRA DE UM ANEL
NA CHUVA A ESTRELA-GUIA
SE PROTEGE COM UM VÉU
E O ASTRO-REI AO SE POR
PARECE UM VERSO DE AMOR
NAS POESIAS DO CÉU.

OBRIGADO SENHOR!

CRISTO REDENTOR.
(ALTO DO MAGANO-GARANHUNS)

OBRIGADO SENHOR!


MUITO OBRIGADO SENHOR!
ETERNAMENTE OBRIGADO
POR O SENHOR TER DEIXADO
POBRE TAMBÉM FAZER AMOR.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A QUEDA DA QUEDA D'ÁGUA.

ESTÁTUA DE CASTRO ALVES.
(ILHA DO URUBU EM PAULO AFONSO)



VERSOS DE CASTRO ALVES.
(ILHA DO URUBU EM PAULO AFONSO)

A QUEDA DA QUEDA D'ÁGUA.
(CACHOEIRA DE FORQUILHA)

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



PAULO AFONSO SEM FORQUILHA
SEM VÉU-DE-NOIVA NO AR
SEM O RONCO MILENAR
SEM A ÍMPAR MARAVILHA.
OS URUBUS NÃO TÊM ILHA
AS MARGENS NÃO TÊM ANGICO
E PERDEU O VELHO CHICO
A CACHOEIRA TÃO NOBRE
OFERTA DE DEUS AO POBRE
EXTINTA EM FAVOR DO RICO.


DA CACHOEIRA A HISTÓRIA
É DE TERNURA COMPLETA
ESCREVEU GRANDE POETA
O SEU PASSADO DE GLÓRIA.
GRAVADO EM NOSSA MEMÓRIA
FICARÁ A VIDA INTEIRA
A MALDADE SEM FRONTEIRA
DE UMA BARRAGEM ENCHENDO
E A TERRA SECA BEBENDO
OS PRANTOS DA CACHOEIRA.


CASTRO ALVES TEVE PRAZER
E OUTROS TAMBÉM TIVERAM
QUE NO PASSADO VINHERAM
A CACHOEIRA ESCREVER.
MAS, QUEM A VIU FALECER
COMO EU, NÃO PODERIA
FAZER UMA POESIA
TRISTONHO ALÉM DE AFLITO
SE NÃO TEM NADA BONITO
EM CACHOEIRA VAZIA.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

RONCO SUFOCADO.

LOCAL DA CACHOEIRA DE PAULO AFONSO.
A PRIMEIRA CACHOEIRA PROGRAMÁVEL DO MUNDO.
RONCO SUFOCADO.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



QUANDO O HOMEM DE ENCONTRO A NATUREZA
FEZ NO RIO SÃO FRANCISCO UM DESVIO
DESCASOU A CACHOEIRA COM O RIO
SUFOCOU A RETUMBÂNCIA E A BELEZA.
RECLAMAVA A POETISA INDEFESA
UM TURISTA RECLAMAVA ABORRECIDO
UM RETRATISTA O SEU PÃO TINHA PERDIDO
UM ENGENHEIRO ORGULHOSO GARGALHAVA
OUTRO BURRO NA FLORESTA RECLAMAVA
UM RONCO MILENAR INTERROMPIDO.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

SEMPRE ALUNO.

SEMPRE ALUNO.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.


MINHA MÃE, EU SOU DE TI
UM GRANDE ADMIRADOR
E MEU CORAÇÃO UM ETERNO
APRENDIZ DO TEU AMOR.

RELÓGIO AMIGO.

RELÓGIO AMIGO.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.


NO MOMENTO TÃO BONZINHO
QUE O MEU AMOR ME ABRAÇA
ESSE TEMPO INGRATO PASSA
RAPIDINHO, RAPIDINHO.
RELÓGIO, MEU AMIGUINHO
NÃO SEJA INGRATO TAMBÉM
QUANDO ME VER COM MEU BEM
PEGUE ESSE TEMPO APRESSADO
E AMARRE BEM AMARRADO
COM AS CORDAS QUE VOCÊ TEM.

DIA DO FICO.

CONHEÇA O ALTO DO MOURA EM CARUARU-PE.
DIA DO FICO.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.


QUANDO A MOCINHA SAÍA
PARA DÁ UMA VOLTINHA
A MÃE DELA SEMPRE VINHA
OLHER COM QUEM ELA IA.
PORQUE A MÁ COMPANHIA
GERALMENTE É QUEM COMPLICA
MAS TUDO SE MODIFICA
E HOJE É OUTRO O DILEMA
COM QUEM SAI NÃO É PROBLEMA
O PROBLEMA É COM QUEM FICA.

AJUDA SENHOR!

AJUDA SENHOR!

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


É MUITO TRISTE A RESPOSTA
DE UM AMOR INCONSEQUENTE.
DAQUELES QUE A GENTE GOSTA
DE QUEM NÃO GOSTA DA GENTE.

PODER DO VERSO.

PODER DO VERSO.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


HOJE EM MINHAS POESIAS
MEU VERSO TEM O PODER
DE FAZER ALGUÉM SORRIR
OU ALGUÉM SE COMOVER.
MAS POESIA É COMPLEXO
NÃO É ASSIM COMO SEXO
QUE TODOS SABEM FAZER.

É BONITO PEDIR PERDÃO.

É BONITO PEDIR PERDÃO.

DO LIVRO:
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES.



SE ALGUÉM COMETE UM ERRO
TEM COMO SE EXPLICAR.
É BONITO PEDIR PERDÃO
E MAIS BONITO É PERDOAR.
BRIGAR FICOU PRA CACHORRO
PORQUE NÃO SABE FALAR.

O DOCE DA SAUDADE.

CONHEÇA PIRANHAS-AL
(A LAPINHA DO SERTÃO)

O DOCE DA SAUDADE.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.



QUANDO ESTAVAS DISTANTE
MINHA SAUDADE ERA IMENSA
HOJE É GRANDE A DIFERENÇA
DAQUELA FASE ESTRESSANTE.
HOJE A VIDA É FASCINANTE
PAZ, AMOR E ALEGRIA
TENHO VOCÊ NOITE E DIA
É GRANDE A FELICIDADE
MAS, HOJE EU SINTO SAUDADE
DA SAUDADE QUE EU SENTIA.

ÚLTIMO VERSO.

ÚLTIMO VERSO.
DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.


O ÚLTIMO VERSO EU QUERO
COM A TERNURA DA FLOR
COM A PUREZA DO AMOR
EXTREMAMENTE SINCERO.
COM A MACIEZ DO BOLERO
COM A PAZ DA MARGARIDA
NO ÚLTIMO VERSO DA VIDA
A DEUS VOU SOLICITAR
INSPIRAÇÃO PRA FALAR
DA MINHA MAMÃE QUERIDA.

O PINCEL DO SOL NASCENTE.

O PINCEL DO SOL NASCENTE.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.



ACORDEI CEDO DE MAIS
OLHEI PARA O HORIZONTE
NO COCURUTO DO MONTE
O SOL JÁ DAVA SINAIS.
UMA NUVEM BRANCA ATRÁS
COM UM ANJO PARECIA
PRA QUEM AMA A POESIA
O QUADRO ESTAVA EXCELENTE
O PINCEL DO SOL NASCENTE
PINTAVA A BARRA DO DIA.

ALVORADA SERTANEJA.

SERRA DO CARIÉ EM ALAGOAS.

ALVORADA SERTANEJA.

DO LIVRO:
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES.


NUMA CASINHA MODESTA
AO ROMPER DA ALVORADA
O CANTO DA PASSARADA
ACORDA TODA FLORESTA.
A FÁUNA SE MANIFESTA
AO NASCER DE MAIS UM DIA
A LUZ DO SOL IRRADIA
NOSSA MENTE NESSA HORA
E TUDO QUE TEM NA FLORA
SE TRANSFORMA EM POESIA.

NORDESTINO.

NORDESTINO.

DO LIVRO:
SERTÃO DE ESPINHOS E FLORES.



NA CIDADE DE SÃO PAULO É O NORTISTA
QUEM GARANTE A SUA GRANDE PRODUÇÃO
NORDESTINO É UM HERÓI NA CONSTRUÇÃO
E NA LAVOURA UM BOM ESPECIALISTA.
SE NÃO FOSSE NOSSA AJUDA O PAULISTA
VIVERIA SEM RUMO E SEM DESTINO
SÓ TINHA FEITO UM CABARÉ E UM CASSINO
A CAPITAL ATÉ HOJE ERA UM DESERTO
EM SÃO PAULO CADA TRAÇO DE CONCRETO
TEM UM PINGO DE SUOR DO NORDESTINO.

DOCE E MACIA.

DOCE E MACIA.

DO LIVRO:
COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA.


A BONDADE DE DEUS É INFINITA
E A TERRA É REPLETA DE BELEZA
MAS DE TODO O UNIVERSO COM CERTEZA
A MULHER É A PEÇA MAIS BONITA.
DURANTE O ANO TODO ELA IMITA
A BELEZA DAS FLORES DE SETEMBRO
DO INÍCIO DO ANO ATÉ DEZEMBRO
ELA É DOCE A MACIA COMO ESPUMA
E ATÉ HOJE EU NÃO ENJEITEI NENHUMA
SE ENJEITEI, ERA LOUCO, NÃO ME LEMBRO.

CHEIRO DE MÃE.

CHEIRO DE MÃE.

DO LIVRO:
COISAS DO SERTÃO E ÔTAS COISA.



A ORQUÍDEA, A DRACENA
A HORTÊNCIA, O ALECRIM
CRAVO-BRANCO E AÇUCENA
AMOR-PERFEITO E JASMIM.
AS CRAVINAS E AS ROSAS
VIVASES E ANUAIS
SÃO FLORES MARAVIHOSAS
DIVINAS INDUSTRIAIS
DE SEUS INTENSOS PERFUMES
MAS CAEM MURCHAS DE CIÚMES
PORQUE MAMÃE CHEIRA MAIS.

DESLUMBRAMENTO.


DESLUMBRAMENTO.
(Á MINHA QUERIDA MÃE).


DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



BEM CEDO DA NOITE AINDA
QUANDO A ENCONTREI NA PRAÇA
ELA ME OLHOU COM GRAÇA
DESEJOU-ME BOA-VINDA.
DEI-LHE UMA ROSA LINDA
A MAIS BONITA E CHEIROSA
E ELA BEM GRACIOSA
SORRIU COM TANTA FINEZA
QUE OFUSCOU A BELEZA
DAQUELE BOTÃO DE ROSA.

OS QUATRO CANTOS.

OS QUATRO CANTOS.
DO LIVRO:
MEU SERTAO SECO DE AJUDA.


EU NÃO GOSTEI DO LUAR
QUE ILUMINOU DE GRAÇA
OS QUATRO CANTOS DA PRAÇA
E FICOU RUIM PRA SE AMAR.
PORÉM A LUA A BRILHAR
QUANDO VIU MINHA QUERIDA
FICOU UM TANTO OFENDIDA
ACHOU QUE FOI HUMILHADA
TRISTONHA QUASE APAGADA
FICOU NO CÉU ESCONDIDA.

ESSA É PRA VOCÊ.




ESSA É PRA VOCÊ.


LOUCURAS DE AMOR.

CONHEÇA POÇÃO-PE.
(O MAIOR SANTUÁRIO A CÉU ABERTO DO MUNDO)

LOUCURAS DE AMOR.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



POR UMA MORENA DOIDA
UM POETA ENLOUQUECEU
ATÉ A RIMA DOS VERSOS
ELE JÁ DESAPRENDEU.
E EU SEI DISSO PORQUE
ESSA MORENA É VOCÊ
E O POETA SOU EU.

LÁGRIMAS E NEBLINAS.

LÁGRIMAS E NEBLINAS.

Á ÁLVARO ALVES DE ALMEIDA.
(IM MEMÓRIAM)

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



A LUZ DA ESTRELA D'ALVA
PASSOU A NOITE ESCONDIDA
E A NEBLINA QUE CAÍA
NA DOR DA TUA PARTIDA
ERA GARANHUNS CHORANDO
COMIGO NA DESPEDIDA.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

TERRA DAS FLORES.

TERRA DAS FLORES.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


GARANHUNS TÁ SEM NEBLINAS
TEM SOL E TEM CÉU AZUL
TEM O CRUZEIRO-DO-SUL
TEM O VERDE DAS CAMPINAS
TEM NUVENS ALTAS E FINAS
SINALIZANDO O VERÃO
TUDO É FASCINAÇÃO
O CAMPO É CHEIO DE FLORES
E SEUS FILHOS TROVADORES
SE ENCHEM DE INSPIRAÇÃO.

SUIÇA PERNAMBUCANA.

SUIÇA PERNAMBUCANA.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.



GARANHUNS TÁ CACHIMBANDO
O CÉU DESAPARECENDO
O SOL ESTÁ SE ESCONDENDO
A LUA SE OFUSCANDO.
É O INVERNO CHEGANDO
COM SUA NEBLINA FRIA
O SOPRO DA VENTANIA
VAI DELINEANDO A NEVE
E TUDO QUE A GENTE ESCREVE
SE TRANSFORMA EM POESIA.

CHORO DOCE.

CHORO DOCE.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.

QUEM DE AMOR NÃO SOFREU
QUEM NUNCA SENTIU NA VIDA
UMA DOR NA DESPEDIDA
POR CERTO NUNCA VIVEU.
HÁ MUITO TEMPO QUE EU
SOFRO COM SERENIDADE
SINTO COM DIGNIDADE
MEU CHORO DOCE E PROFUNDO
PIOR É NÃO TER NO MUNDO
DE QUEM SENTIR A SAUDADE.

BOA PERGUNTA.

BOA PERGUNTA.

DO LIVRO:
DIZENDO COMO TE AMO.


POR QUE AS BRIGAS NA SALA
NA COZINHA EM TODO CANTO?
SE QUANDO CHEGA NO QUARTO
A GENTE SE ENTENDE TANTO?

NÃO SE VÁ.

NÃO SE VÁ.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


VENHA CÁ DONA ALEGRIA
POR FAVOR FIQUE COMIGO
NÃO SE DESPREZA UM AMIGO
ASSIM DA NOITE PRA O DIA.
SE O AMOR FEZ COVARDIA
LARGOU TUDO E FOI EMBORA
FIQUE AQUI COMIGO AGORA
EXPULSE A DONA SAUDADE
E MANDE A FELICIDADE
ME AJUDAR NESSA HORA.

JÁ MUDEI.

JÁ MUDEI.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


JÁ NÃO VOU MAIS PLANTAR FLORES
NO CAMINHO DE NINGUÉM.
NEM OCULTAR MINHA FACE
QUANDO FOR TRAIR ALGUÉM.
MINHA VIDA TÁ MUDADA
DEPOIS DE TANTA PORRADA
APRENDÍ BATER TAMBÉM.

O NOME DA MINHA TERRA.

O NOME DA MINHA TERRA.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


ONDE EU NASCI ERA CHEIO DE ANUNS
AVE PRETA QUE VOA BEM ESTRANHO
VINHAM CATAR CARRAPATOS NO REBANHO
E EU PEDIA PRA MEU PAI "AGARRAR UNS".
DAÍ SURGIU O NOME DE GARANHUNS
A LINDA CIDADE A QUEM DEI FAMA
FOI LÁ QUE EU PLANTEI AQUELA GRAMA
QUE PRA ARCA O ANUM LEVOU UM PÉ
EU NÃO ESTIVE NO DILÚVIO COM NOÉ
MAS AINDA SUJEI MEUS PÉS NA LAMA.

BABÁ DE JESUS.

BABÁ DE JESUS.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


UMA VEZ EU PASSANDO EM NAZARÉ
VI O TEMPO MUDAR BEM DE REPENTE
UMA VOZ COCHICHOU EM MINHA MENTE
ERA O DIVINO REFORÇANDO A MINHA FÉ.
O CRUZEIRO-DO-SUL FICOU EM PÉ
NESSE TEMPO AINDA NÃO HAVIA A CRUZ
DA ESTRELA-DO-ORIENTE VEIO A LUZ
E EU FORREI A MANJEDORA NESSE DIA
COM O CAPIM MAIS FOFINHO QUE HAVIA
PRA NÃO FERIR O BUMBUNZINHO DE JESUS.

MUDANÇA DO VELHO CHICO.

MUDANÇA DO VELHO CHICO.

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


PAULO AFONSO QUANDO EU O CONHECÍ
NÃO TINHA O RIO, NEM O ÍNDIO, NEM A FERA
NAQUELE TEMPO A EMA AINDA ERA
DO TAMANHO DE UM PEQUENO BEM-TE-VI.
EM MOXOTÓ EU PLANTAVA ABACAXI
PRA COLHER LINDOS CACHOS DE QUIABO.
NESSA ERA O PAVÃO NÃO TINHA RABO
O TUCANO AINDA NÃO TINHA O BICO
E EU PUXEI PRA PAULO AFONSO O VELHO CHICO
QUE CORRIA PERTO DE GEREMOABO.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

PAULO AFONSO.

PAULO AFONSO.
(CACHOEIRA DE FORQUILHA)

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


A CACHOEIRA RONCAVA
POR PERTO A TERRA TREMIA
O FUMAÇEIRO SUBIA
DA ÁGUA QUE SE QUEBRAVA.
O SOL AS VEZES FORMAVA
UM ARCO-CELESTE LINDO
LÁ NO ALTO CONSUMINDO
A ÁGUA FRESCA DA FONTE
O SEU RAIO NO HORIZONTE
BEIJAVA AS ÁGUAS SORRINDO.

PASSA UM TIGRE NA CARREIRA
NA FRENTE CORRE UM VEADO
SEU BERRO FOI ABAFADO
NO RONCO DA CACHOEIRA.
NA SOMBRA DA CRAIBEIRA
OLHANDO O SUL DA BAHIA
UMA ÍNDIA PRESENCIA
NUMA SERRA BEM DISTANTE
QUANDO O SOL MENOS BRILHANTE
ENCOSTA A PORTA DO DIA.

EMBOCA UM TATU NA TERRA
UM LEBRE PULA NA GROTA
VOLTA PRA CASA A GAIVOTA
A ONÇA PINTADA BERRA.
UM PORCO ESPINHO NA SERRA
DEIXA UM MOCÓ ESPANTADO
O SOL NO CÉU AZULADO
ABRAÇA, BEIJA E AQUECE
E O VELHO CHICO PARECE
UM TAPETE ESVERDEADO.

HAVIA GRANDE CHAMEGO
DE GARÇA E DE ANDORINHA
DE BACORAL E ROLINHA
RASGA-MORTALHA E MORCEGO.
PORÉM HAVIA SOSSEGO
NO VELHO CHICO INDOMADO
PESCAVA UM ÍNDIO DE UM LADO
OUTRO CAÇAVA DEFRONTE
E O SOL NO HORIZONTE
DAVA-LHE UM BEIJO DOURADO.

EM FORQUILHA FOI ERGUIDA
A CAPITAL DA ENERGIA
TRISTE LÁGRIMA DESCIA
DA CACHOEIRA QUERIDA.
HÁ OUTRA LÁGRIMA SENTIDA
NOS OLHOS COR-DE-ANIL
DE JESUS QUANDO NÃO VIU
CAINDO AS ÁGUAS LIGEIRAS
DE UMA DAS CACHOEIRAS
QUE SEU PAI FEZ NO BRASIL.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

SELA OU CANGALHA?

SELA OU CANGALHA?

DO LIVRO:
MEU SERTÃO SECO DE AJUDA.


FHC É HOMEM DE AEROCLUBE
E LULA É HOMEM DE AEROJEGUE.
É MELHOR UM AVIÃO QUE ME DERRUBE
OU É MELHOR UM BURRO QUE ME CARREGUE?

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

DOR QUE NÃO DÓI.

DOR QUE NÃO DÓI.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


A SAUDADE NÃO DESTRÓI
NEM CONSTRÓI NADA NA VIDA
A SAUDADE É PARECIDA
COM UMA DOR QUE NÃO DÓI.

BELEZA DA CHUVA.

BELEZA DA CHUVA.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


SOPRA O VENTO DO NASCENTE
A NUVEM SE DESEMPERRA
DESCE A FAÍSCA RISCANDO
O LOMBO SECO DA SERRA
A ÁGUA DA COR DE PRATA
BEIJANDO A BOCA DA MATA
AFAGA OS SEIOS DA TERRA.

POR VOCÊ.

POR VOCÊ.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


POR VOCÊ EU VEJO O MAR
EM ETERNA CALMARIA
UMA SEREIA A CANTAR
COISAS DE MINHA AUTORIA
EU VEJO O CÉU MAIS AZUL
VEJO O CRUZEIRO-DO-SUL
A BRILHAR DURANTE O DIA.

POR VOCÊ A NOITE VEM
MUDANDO AS FILOSOFIAS
PENSAMENTOS SE TRANSFORMAM
EM SONHOS, EM FANTASIAS
E O LUAR DO SERTÃO
INCITA EM MEU CORAÇÃO
AS MAIS LINDAS POESIAS.

POR VOCÊ AS AMARGURAS
PASSAM POR LONGE DE MIM
POR VOCÊ RELVAS DE ESPINHOS
SÃO FLORES EM MEU JARDIM
E NA VIAGEM DOS SONHOS
A NOSSA ESTRADA É SEM FIM.

POR VOCÊ VEJO TERNURA
NAS POESIAS QUE FAÇO
AMARRO O TEU CORAÇÃO
DOU UM NÓ CEGO NO LAÇO
OLHANDO A TUA BELEZA
JOGO NO CHÃO A TRISTEZA
PISO EM CIMA E ESBAGAÇO.

UM AMOR CELESTIAL.

UM AMOR CELESTIAL.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.

QUANDO DEUS CRIOU O MUNDO

OCEANO, SERRA E NEBLINA

O CÉU, O SOL, LUA E ESTRELAS

VULCÃO, CICLONE E COLINA

TORNADOS E MAREMOTOS

CHAPADA, MONTE E CAMPINA

E COM ISSO TUDO EM REDOR

PENSANDO EM ALGO MAIOR

FEZ O AMOR DE CELESTINA.

ÁGUA LAVA TUDO.

ÁGUA LAVA TUDO.

DO LIVRO:
SERTAO: O BERÇO DA POESIA.


HOJE A TUA DESPEDIDA
SAIU DO MEU PENSAMENTO
LAVEI AS DORES DA VIDA
NO MAR DO ESQUECIMENTO.

RECEITA MAIOR.

RECEITA MAIOR.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.
QUANDO A MINHA MÃE FOI FEITA
HAVIA TANTA ALEGRIA
QUE DEUS NAQUELA EUFORIA
JOGOU NO MATO A RECEITA.
E FOI MUITO MAIS PERFEITA
A NATUREZA NESSE DIA
COM CAPRICHO DEUS FAZIA
AS COISAS DEVAGARINHO
COM MAIS ZELO, MAIS CARINHO
MAIS AMOR, MAIS POESIA.
MAIS AMOR, MAIS POESIA.

ÁCIDO DESOXIRRIBONUCLEICO

ÁCIDO DESOXIRRIBONUCLEICO.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


POEMAS EU JÁ FAZIA
BEM ANTES DO BÊ-A-BÁ
ONDE ESTIVER O AMOR
MEU VERSO TAMBÉM ESTÁ
O PRAZER DA POESIA
VIVE EM MEU DNA.

SOLIDÃO.

SOLIDÃO.

DO LIVRO:
SERTÃO: O BERÇO DA POESIA.


JÁ SENTÍ A SOLIDÃO
DAQUELAS QUE A GENTE SENTE
MO MEIO DE MUITA GENTE
SEM GENTE NO CORAÇÃO.